3 de julho de 2010

Saudade de você


A humanidade não está perdida, enquanto houver pessoas que, apesar da distância, se unem em prol dum só objetivo - apoiar alguém que precisa.
Hoje por ti, amanhã por quem precisar, mais Somos humanos.
Agradecimentos são necessários..

Lembro-me de uma fábula onde o homem tinha uma mala de viagem.
Ele caminhava vacilante pela estrada, levando uma pedra numa mão e um tijolo na outra. Nas costas carregava um saco de terra; em volta do peito trazia vinhas penduradas. Sobre a cabeça equilibrava uma abóbora pesada.
Pelo caminho encontrou um transeunte que lhe perguntou: Cansado viajante, por que carrega essa pedra tão grande?
É estranho, respondeu o viajante, “mas eu nunca tinha realmente notado que a carregava.” Então, ele jogou a pedra fora e se sentiu muito melhor.
Em seguida veio outro transeunte que lhe perguntou: Diga-me, cansado viajante, por que carrega essa abóbora tão pesada?
Estou contente que me tenha feito essa pergunta, disse o viajante, “porque eu não tinha percebido o que estava fazendo comigo mesmo”. Então ele jogou a abóbora fora e continuou seu caminho com passos muito mais leves.
Um por um, os transeuntes foram avisando-o a respeito de suas cargas desnecessárias. E ele foi abandonando uma a uma. Por fim, tornou-se um homem livre e caminhou como tal.
Qual era na verdade o problema dele? A pedra e a abóbora?
Não!
Era a falta de consciência da existência delas. Uma vez que as viu como cargas desnecessárias, livrou-se delas bem depressa e já não se sentia mais tão cansado. Esse é o problema de muitas pessoas: Elas estão carregando cargas sem perceber. Não é de se estranhar que estejam tão cansadas!
O que são algumas dessas cargas que pesam na mente de um homem e que roubam as suas energias?
Pensamentos negativos.
Culpar e acusar outras pessoas.
Permitir que impressões tenebrosas descansassem na mente.
Carregar uma falsa carga de culpa por coisas que não poderiam ter evitado.
Auto piedade.
Acreditar que não existe saída.
Todo mundo tem o seu tipo de carga especial, que rouba energia. Quanto mais cedo começarmos a descarregá-la, mais cedo nos sentiremos melhor e caminharemos mais levemente.
Uma linda tarde...
Amoré!Estou com saudades..
Um cheiro...

2 de julho de 2010

Show de bola rumo ao hexa.


Espero que hoje dois de julho independência da Bahia traga fortes emoções e que acima de tudo seja afirmado que adoramos futebol e que somos bons nisso. Imaginavam que o horário do jogo não mobilizaria muito a torcida, enganos meu, as ruas estão tomadas por bandeirolas, Vuvuzelas e apitos os torcedores de tudo que é jeito. Se depender da torcida, o Brasil sai campeão mais uma vez. Tenho certeza que o Brasil dará um Show de bola rumo ao hexa.

Creio eu que o Brasil vencera fácil a Holanda meu palpite é 3x2
E que o primeiro gol seja feito pelo Robinho. Ai que delicia ver as comemorações dos torcedores.
Não importa de que jeito isso vai acontecer o importante e que trague muitas felicidades para os milhões de brasileiro que em noventa minutos esquecem-se de tudo, para torcer pela seleção brasileira.
E que hoje fique na historia..
Rumo ao Hexa Brasil falta muito pouco agora.
Vamos lá Brasil.
Obs: de novo nas quartas e finais Holanda vence por 2a1 tirando o sonho brasileiro do hexa..
Agora só daqui a quatro anos no Brasil.. Assim seja começa tudo de novo...
Nada de choro! Isso é jogo ganha quem está preparado para a vitoria..
Vamos a luta...

1 de julho de 2010

Hoje o dia vai ser de guarda chuva de todas as formas.


Bom dia amore!!
Declare seu amor, aquele que está além dos olhos, “A principal condição para se amar uma pessoa de verdade é aceitá-la como ela é. Se não houver respeito, admiração e comunidade, esse sentimento pode ser chamado de atração, idealização, comodidade, conveniência, possessividade... Mas não de amor, e isso causa muitos desentendimentos, brigas, decepções e separações Cative a pessoa que você ama.

A madrugada em Salvador foi de muita tempestade, com ventania, raios e com um frio delicioso que não da para se arrisca lá fora o único jeito e fica em casa de preferência na minha cama bem aquecida.
Também né depois de 24horas de trabalho mereço ficar em casa vendo, o mar pela minha janela onde as ondas do mar esta forte e ecoa aos meus ouvidos sua melodia, os barcos balançando como se tivesse dançando uma bela canção romântica.
E os pássaros que aparecem nos primeiro raios de sol hoje não deram as caras para alegra o meu dia com os seus cantos. Pelo visto hoje o dia vai ser de guarda chuva de todas as formas e jeito colorindo as ruas e os pontos de ônibus.
Pessoas molhadas crianças chorando com medo dos relâmpagos todos a caminho do trabalho e da escola.

E eu aqui vendo as coisas acontecer sem sair de casa.
Vivenciado o filme da vida real, passar entre os meus olhos pela minha janela.
Depois de passar a noite toda brigando com minha insônia resolvi ligar a Tv onde deparei- me com um filme o pequeno príncipe uma historia linda que mim deixou emocionada!
A história gira em torno do piloto da Segunda Guerra (Richard Kiley), que começa sua aventura no deserto depois de uma pane no meio do Saara. Certa manhã é acordado pelo Pequeno Príncipe (Steven Warner), que lhe pede: "Desenha-me um carneiro"? É aí que começa o relato das fantasias de uma criança como as outras, que questiona as coisas mais simples da vida com pureza e ingenuidade. O principezinho havia deixado seu pequeno planeta, onde vivia apenas com uma rosa vaidosa e orgulhosa. Em suas andanças pela Galáxia, conheceu uma série de personagens inusitados Um homem de negócios (Clive Revill) se dizia muito sério e ocupado, mas não tinha tempo para sonhar. Um bêbado se embriagava para esquecer a vergonha que sentia por beber. Um geógrafo (Victor Spinetti) se dizia sábio, mas não sabia nada da geografia do seu próprio país. Assim, cada personagem mostra o quanto às “pessoas grandes” se preocupam com coisas inúteis e não dão valor ao que merece.
Claro que já tinha lido e relido essa obra de arte, mas o filme hoje conseguiu me fazer reviver e chorar.

Quanta sensibilidade contida nesse ser Exupéry que cativou tantos e tantos seres!
Que bom que não me envergonho de me emocionar, que não me envergonho de chorar. Como é bom viver! Afinal, o essencial não se vê certo? Exato! O essencial se sente com o coração, e quem me conhece sabe que eu sempre digo e repito isso!
Que delícia estar conectado com toda essa essência da vida, que delícia não deixar a vida tirar isso tudo de dentro de mim. Eu não deixei o tempo me cegar.
Cative-me! Cative-me que estarei ansiosa desde as 1, se você vier as 8. Cative-me por que na verdade se você me cativar, viverei ansiosa pra te ver. E se me cativar mais e mais vou querer passar a vida toda ao seu lado.
Como é bom, como é bom, obrigada meu deus por cada gota de amor que inunda todo o meu ser nesse momento!
Obrigada você que já me cativou e obrigada você que ainda vai me cativar.
A vida também me cativou!
E o grande desafio é compreender o adeus, porque tudo é efêmero.
Só o amor fica!
E que assim seja!

Esse amor que cativar o ser humano mesmo debaixo de tanta chuva ele levanta e sair à luta de um dia melhor.
Mesmo que tudo esteja errado ele nunca pede a esperança de encontra um lugar para se abriga e passar o seu amor em frente.
Hoje não escutei as cantorias dos pássaros mais isso não que dizer que amanhã eles não irão aparecer, eles sempre volta aos primeiro raio de sol.
Só se vê bem com o coração porque o essencial é invisível aos olhos
E pergunto eu, as coisas mágicas são compatíveis com o erro?
Se sim, que seja a minha vida errante e sempre mágica.
Que todos tenham um lindo dia!!
Paz, amor e esperança...

30 de junho de 2010

O milagre invisível aos outros.


O que faz o pôr do sol ser lindo é a certeza de que ele voltará amanhã!
A única coisa que quero que lembre. É que nunca vou me arrepender daquilo que fomos dos dias, dos sonhos, de sermos pra sempre ligados
Porque amar alguém é ser o único a ver um milagre invisível aos outros.
Ti adoro...

29 de junho de 2010

Um doce beijo na beira do mar.


Se eu pudesse deixar algum presente a você, deixaria aceso o sentimento de amor à vida dos seres humanos. A consciência de aprender tudo o que nos foi ensinado pelo tempo afora. Lembraria os erros que foram cometidos, como sinais para que não mais se repetissem. A capacidade de escolher novos rumos. Deixaria para você, se pudesse o respeito aquilo que é indispensável: alem do pão, o trabalho e a ação. E, quando tudo mais faltasse, para você eu deixaria se pudesse um segredo. O de buscar no interior de si mesmo a resposta para encontrar a saída. Da essência do amor e carinho não deixando jamais de adubá-la e regá-la.
um sonho dourado, longe e sereno.

Se você conseguir, em pensamento, sentir o cheiro da pessoa como se ela estivesse ali do seu lado você esta escravizado pelo laço do Amor,... Deixo-o livre, e de repente seu coração aperta. Procure. Quem amar..

No meio dessa confusão alguém partiu sem se despedir; foi triste. Se houvesse uma despedida talvez fosse mais triste, talvez tenha sido melhor assim, uma separação como às vezes acontece em um baile de carnaval — uma pessoa se perda da outra, procura-há por um instante e depois adere a qualquer cordão. É melhor para os amantes pensar que a última vez que se encontraram se amaram muito — depois apenas aconteceu que não se encontraram mais. Eles não se despediram, a vida é que os despediu, cada um para seu lado — sem glória nem humilhação.

Creio que será permitido guardar uma leve tristeza, e também uma lembrança boa; que não será proibido confessar que às vezes se tem saudades; nem será odioso dizer que a separação ao mesmo tempo nos traz um inexplicável sentimento de alívio, e de sossego; e um indefinível remorso; e um recôndito despeito.
E que houve momentos perfeitos que passaram, mas não se perderam, porque ficaram em nossa vida; que a lembrança deles nos faz sentir maior a nossa solidão; mas que essa solidão ficou menos infeliz: que importa que uma estrela já esteja morta se ela ainda brilha no fundo de nossa noite e de nosso confuso sonho?

Talvez não mereçamos imaginar que haverá outros verões; se eles vierem, nós os receberemos obedientes como as cigarras e as paineiras — com flores e cantos. O inverno — te lembras — nos maltratou; não havia flores, não havia mar, e fomos sacudidos de um lado para outro como dois bonecos na mão de um titeriteiro inábil.
Ah, talvez valesse a pena dizer que houve um telefonema que não pôde haver; entretanto, é possível que não adiantasse nada. Para que explicações? Esqueçamos as pequenas coisas mortificantes; o silêncio torna tudo menos penoso; lembremos apenas as coisas douradas e digamos apenas a pequena palavra: adeus.

A pequena palavra que se alonga como um canto de cigarra perdido numa tarde de domingo.
Extraído do livro "A Traição das Elegantes
Amo a liberdade, por isso deixo livre tudo que tenho... Se voltar é porque conquistei, se partir é porque nunca possuí!"

Nada mais que um doce beijo na beira do mar.
Que tenha um lindo dia!!!