25 de junho de 2011

Amores aproveitem o forró com sabedoria.


O ser humano está sofrendo de "Normose", a doença de ser normal.

Todo mundo quer se encaixar num padrão, só que o padrão propagado não é exatamente fácil de alcançar.

O sujeito normal é magro, alegre, belo, sociável, e bem sucedido: bebe socialmente, está de bem com a vida, e não pode parecer de forma alguma que está passando por algum problema que não se normaliza, que não se encaixa nesses padrões, acaba adoecendo.

A angústia de não ser o que os outros esperam de nós gera bulimias, depressões, síndromes do pânico e outras manifestações de não enquadramento.

A PERGUNTA A SER FEITA É:

Quem espera o quê de nós?
Quem são esses ditadores de comportamento a quem estamos outorgando tanto poder sobre nossas vidas?

Eles não existem.

Nenhuma “Jose, João, Zé ou Maria” bate á sua porta exigindo que você seja assim ou assado.
Quem nos exige é uma coletividade abstrata que ganha presença através de modelos de comportamento amplamente divulgados.
Só que não existe lei que obrigue você a ser do mesmo jeito que todos sejam lá quem for todos.
Melhor é se preocupar em ser você mesmo..

A normose não é brincadeira ela estimula a inveja, a auto depreciação e a ânsia de querer o que não se precisa.
Hoje é um bom dia para parar um pouco e se pergunta assim mesmo quantos pares de sapatos eu preciso?
Será a quantas festas eu preciso comparecer por mês?
Ou quem sabe quantos quilos irão está pesando até o próximo verão?
Ou vou está freqüentado um terapeuta só para bater um papo?

Não e necessário fazer curso de nada para aprender a se desapegar das exigências fictícias. Um pouco de auto-estima já basta.

Pense nas pessoas que você mais admira:

Não são as que seguem todas as regras bovinamente, e sim são aquelas que desenvolveram personalidade própria e arcaram com os riscos de viver uma vida ao seu modo.
Criaram o seu “Normal” e jogaram fora a formula, e não patentearam, e não passaram adiante.

O normal de cada um tem que ser original.
Não adianta tomar para si as ilusões e desejos dos outros.

Isso é fraude.
E uma vida fraudulenta faz sofrer demais.
Eu me simpatizo cada vez mais com aqueles que lutam para remover obstáculos mentais e emocionais, e a viver de forma mais integra simples e sincera.

Para mim são os verdadeiros normais, porque eles não conseguem colocar mascaras ou simular situações. Se parecem sofrer, é porque estão sofrendo.
E se estão sorrindo, é porque a alma lhes é iluminada.

A ‘’normose’’ está doutrinando erradamente muitos homens e mulheres que poderia se quisessem se bem mais autênticos e felizes.

Ou seja, ser feliz é ser você mesmo, sofrendo ou sorrindo, pois esta vida é passageira e o importante é ter emoções claras e definidas.

Olá meus amores que saudade desse meu cantinho.
Aproveitando o poste de hoje quero pedir desculpa aos meus queridos amigos que acompanho diariamente em seus blogs. Pela minha sumida nos seus cantinhos algum blog que acompanho por algum motivo as pagina estão dando erro e é esse o único motivo viu (Antonio) de não está indo perturba os soninho de vocês. Espero ansiosa que possa corrigir esse pequeno empecilho.
Bjs..
Isto é Brasil..